quinta-feira, 19 de julho de 2012

Childish [2]



Phineas e Ferb [2007]
Uma coisa bem recente, num registo um bocadinho diferente dos restantes mas com bastante sucesso de qualquer forma. 

História : dois irmãos, as coisas mais loucas à face da Terra, que aproveitam as férias da maneira que eu gostaria de aproveitar, ou seja, loucuras a dar com um pau!.. :) E depois a irmã, Candace, sempre a passar-se com as loucuras dos irmãos, mas sempre que tenta mostrar aos pais o que se passa já tudo desapareceu misteriosamente.. :)
As crianças, algumas, as mais interessantes - eu incluída - têm uma imaginação absolutamente incrível, fazem os cenários mais estapafúrdios, e como é óbvio os mais brutais de sempre.
Vamos ter um circo no quintal, ou fazer espectáculos com baleias no quintal, organizar um festival de rock, fazer um robot, o que lhes der na cabeça para fazer nesse dia enquanto os pais estão a trabalhar. [sei de alguém que fazia o mesmo.. ] :) O que é mesmo interessante é que eles conseguem fazer tudo aquilo que imaginam, é isso que tem tanta piada.

"Perry Orrnitorrinca" - como diz o mauzão da história Dr. Heinz Doofenshmirtz [acho que é assim.. :)] um agente secreto, e ao mesmo tempo o animal de estimação da casa. Desaparece sempre misteriosamente no início do episódio e aparece no fim, se bem que embora os seus "donos" não saibam da vida ultra perigosa que ele leva, nós vamos acompanhando as suas peripécias ao mesmo tempo que vemos o concretizar das ideias desse dia.. :)

Para além das histórias serem mesmo brutais ainda temos músicas absolutamente fenomenais. A melhor - para mim pelo menos - é "Não tenho ritmo".. E mesmo gira.. :)                           http://www.youtube.com/watch?v=Lsi-Ds2mP3k



O Corcunda de Notre Dame - "The Hunchback of Notre Dame" [1831 / 1996]

Bem, neste caso juntamos duas coisas muito diferentes [daí as duas datas]. O Corcunda de Notre Dame é uma obra de Victor Hugo bem antiguita [nunca li toda, mas a base histórica é bastante interessante; já a história na sua essência é a mesma com umas quantas adaptações necessárias para a transformar num filme infantil], quando no entanto o desenho animado em si, a que me refiro, vem do filme de 1996 produzido pela Disney [há ainda um outro filme, mais fiel à história original, de 1923, que também ainda não vi mas segundo parece é assim a dar para o forte].


E depois de tanta palavra chata o que é importante aqui, é que este é o meu filme da Disney. "Ah e tal Pequena Serei, a Bela Adormecida, o Bambi, o Rei Leão..." , alguns nunca vi [shame on me..] e os outros não são nem metade do interessante deste. :) 


Eu via isto em VHS, praticamente todos os dias, e sabia as falas todas, rigorosamente todas.. :) Era mesmo giro.. 


É uma história que, como em todas estas histórias de "encantar", os detalhe macabros são ignorados pelas crianças, ou melhor, pela sua ingenuidade. E ainda bem! Se voltarmos a ver esta história, e prestarmos atenção aos pormenores desde o início, temos uma história digna de um filme de terror.


Mas... não é pelos pormenores sórdidos que escolhi o Quasimodo. [se bem que não é uma má ideia.. :)] 
O Corcunda é um moço mesmo fofinho, apaixonado pela vida, a querer sair do "seu santuário" para ter uma vida minimamente parecida com as pessoas que ele vê dos "telhados da cidade".
Ele quer sair, quer ver o mundo, quer poder ser livre - tal como todos nós queremos. E é tão bom moço, tem um bom coração, quer ajudar a Esmeralda [vamos dizer que é pelo bom coração.. :)].


E.. para mesmo fixe no meio disto tudo, até fala com gárgulas, especialmente com uma gárgula, Laverne, que é mesmo fofinha [já agora estas gárgulas estão extremamente bem representadas.. As originais que se encontram em Notre Dame são absolutamente lindíssimas e as personagens estão bastante fiéis por acaso].


E pronto, depois podia falar da História toda da Esmeralda, e da paixão louca, o ódio profundo, o desejo incontrolável de Claude Frollo por ela, misturando o amor de Quasimodo e o amor dela por Phebo, mas muito sinceramente isso já entra nas historinhas típicas da Disney, amores e desamores e as míticas morais inerentes a todos estes filmes infantis.


Resumindo e concluindo, que ainda não disse nada de jeito e também não deve melhorar muito, o filme é extremamente fofinho com todos os detalhes absolutamente macabros que o fazem ser assim. Acho que ainda hoje sei o filme todo de cor, e continua a ser o meu filme preferido da Disney. Embora haja muitos outros que goste de ver, dos clássicos e dos mais recentes, este terá sempre um cantinho especial reservado.. :)





Monstro das Bolachas - Cookie Monster [1966]


O. Melhor. Bicho. Peludo. De. Sempre. :) [depois temos o Kitty.. mas aguardemos.. :)]
É fofinho! É azul! Ama bolachas!..




Quem não gostar do Monstro das Bolachas escusa de se dirigir à minha pessoa. Primeiro porque para não gostar do Monstro das Bolachas tem de ser alguém que não goste de bolachas, que não goste de azul, e que não goste de coisas fofinhas. C'mon?? Não é possível não gostar. Impossibru! :)


Et bien, basicamente é uma personagem que pertence à Rua Sésamo, serie da qual nunca fui assim muito fã. Ou melhor sempre gostei de algumas personagens, mas a personagem principal sempre me irritou : o Popas!.. [para avestruzes gigantes e amarelas temos a Leopoldina todos os Natais.. e chega.. :)]



Vejam esse vídeo.. é uma entrevista com o Monstro. Está bem engraçada por acaso. 
E para finalizar.. desejo-vos a todos : 

OM NOM NOM NOM NOM!!!!! :)





Garfield [1978]


Jim Davis de há uns quantos séculos para cá é um nome a saber na ponta da língua. E porquê? Porque... criou um gato.. gordo.. laranja.. lazy as hell.. amante de lasanha.. portanto.. awesome.. *.* [é pena que esta genialidade toda tenha vindo de um insecto que não estava a fazer sucesso.. sad sad... ]


Garfield é uma personagem que - perdoem-me os não fãs - tem de ser amada por toda e qualquer pessoa que tenha o mínimo de actividade cerebral.




Não me posso esquecer do Oddie. Embora um cão extremamente estúpido, tadinho, é mesmo fofinho.
Já o mítico dono, Jon, é outro pouco dado à inteligência, mas o que vale é que se não fosse assim o Garfield não seria tão interessante.. :)


O sarcasmo deste bicho, a arrogância, a inteligência, toda uma gordura acumulada, a preguiça a tender para infinito em cada ponto do seu ser [a não ser que haja lasanha :) ] fazem dele o gato mais fixe de todos os tempos.. :) Até porque este gato, vá como hei-de pôr isto, manda no dono.. ou melhor é quase dono do dono. A manipulação que ele consegue fazer a Jon, geralmente por televisão ou, como é óbvio, lasanha :), é digna de aspirantes hitlerianos.. :)





Algo importante: por favor não me venham dizer que o Garfield é uma personagem de um filme muito giro que viram há uns tempos. Tadinho do moço, anda há tanto tempo a dar uma coça aos humanos em geral, vão mas é ler umas bandas desenhadas dele que isso sim é de valor.. :)










Peanuts [1950]


Charlie Brown, Snoopy, Woodstock, Lucy, Linus, Peppermint Patty, Sally e pelo que me dizem as minhas fontes, Franklin - não me lembro de tal moço.. mi dispiace. :$ 


Sempre gostei de ler e ver Peanuts, não sei muito bem porquê, mas as histórias estranhas deste grupo de "crianças" tornavam-nas mesmo engraçadas. 



Nunca gostei muito do papel de destaque do Charlie Brown, é fofinho e tal mas é um líder meio fraquinho. Woodstock é super fofinho, e como é óbvio o Snoopy é um marco.

O meu favorito nem sequer é dos mais falados. O Linus acaba por ser aquele que é o mais calminho, engraçado na mesmo, mas mais frágil. :) Acho que a culpa é daquele arzinho de bebé sempre agarrado ao seu cobertor. É mesmo fofinho.. E pronto, acabo por ter um carinho especial por ele.. :)

E pronto, basicamente obrigada Charles Schulz, foste um porreiraço.. :)






Pucca [2006]


Só para não dizerem que não sou internacional - tomem lá cenas koreanas.. :)
A Pucca conquistou o mundo aqui há uns tempos, e entretanto já foi esquecida. Em parte a minha reacção é : YESSSS!!! , mas por outro lado : ahh.. é pena.

Passemos a falar da moça a ver se nos entendemos. Então.. a rapariga é a coisa mais irritante que existe. Sempre atrás do pobre do Garu, que esse sim é a personagem mais engraçada no meio dos episódios todos. 

O Garu é um ninja, que fez um voto de silêncio, e basicamente é a paixão assolapada da Pucca. Agora, mais importante do que isso, o Garu é simplesmente o moço com a maior quantidade de paciência possível. Aquela moça é louca, não pára de o perseguir, sempre atrás dele para o encher de beijos. :) 

Nunca se chega a perceber muito bem qual a opinião dele no meio disto tudo, ele fica tão atrapalhado que nem se consegue entender grande coisa. :)


O que realmente vale a pena ver nestes desenhos animados é... a forma de cortar legumes dos tios da Pucca no restaurante que possuem, de massas. Coisa meia ninja, meia louca, meia taekwondo. Mesmo fixe.. :)

E pronto, eu pessoalmente não me consigo decidir. Por um lado é tão, mas tão irritante, sempre a fazer de tudo para agarrar o pobre rapaz, mas por outro lado é bem fofinha. E pronto, está a seguir o seu "amigo colorido" digamos.. Não a podemos crucificar assim tanto. :)







[sim desta vez escrevi menos, alguns porque fazia mais sentido e outros para não secar tanto as pessoas.. :)]

*.*






Sem comentários:

Enviar um comentário