segunda-feira, 30 de julho de 2012

More star stuff ...



Eu pelo menos sou.. :)


We all are! *.*



Stars *.*




"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém… Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá). Terás vontade de rir comigo. E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto… E teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu."



"O Principezinho" - Antoine de Saint-Exupéry


*.*




sexta-feira, 27 de julho de 2012

Anormalidades natalícias...



Natal... prendas... crazy stuff..


Bem, é provável que isto seja mais uma das minhas teorias malucas - pelo menos pela reacção normal das pessoas com quem já a partilhei - mas mesmo assim. Apetece-me escrever cenas pouco sérias, só para entreter dedos e ouvir teclas sem ter de pensar muito, para além de que é um assunto que realmente me irrita.



Então, ainda falta um bocadinho para o Natal, mas é uma época que geralmente levanta sentimentos estranhos nas pessoas.

Não, não vou falar de luzinhas e enfeites de árvores ou músicas com sininhos. Também não vou entrar pelas histórias de Pai Natal e muito menos Menino Jesus ou algo religioso.

Falemos então do espírito de troca de prendas.

Em que consiste essa coisa? Chega ali a Novembro e tal e as pessoas começam a fazer listas intermináveis de pessoas: as tias, os avós, as primas e os primos - com os pequeninos, os adolescentes e os adultos - a cunhada, o genro, a sogra, o cão, a catatua e a arara, o tucano da vizinha e o piolhinho pequenino atrás da orelha.

Não é admissível esquecer alguma dessas pessoas (ou muito prezado ser), mesmo que nunca tenhamos sequer falado com elas, ou que já não saibamos por que lado da família é que elas aparecem. Isso não interessa realmente, interessa sim que temos uma obrigação - social e moral, incutida - de na altura de Natal esfolarmo-nos de corpo, alma e carteira numa loja da moda para comprar prendas moderadamente caras para as pessoas que tanto nos dizem, sem sequer sabermos que música ouvem, mas que também nos trarão uma prenda de igual modo escolhida.


Ora bem, o que me irrita solenemente nesta história de trocar prendas é que, convenhamos, as pessoas gastam dinheiro à toa, muito dinheiro, dinheiro que por vezes nem sequer têm, para comprar algo que não fazem a mínima ideia se vai ser do agrado do seu futuro possuidor. Não faz sentido! Em tantos sentidos! 


Comecemos por algum lado.


As pessoas têm uma necessidade de oferecer algo que seja minimamente caro, só para compensar o facto de não fazerem a mínima ideia de se seria algo que aquela pessoa precisasse, ou quisesse, ou simplesmente apreciasse. Todos nós temos destas prendas: coisas que não nos dizem nada, que não desejámos, que não nos interessam, que nem nunca chegámos a usar ou aproveitar. 


Para além disso, as prendas dadas nesta altura também querem compensar a indiferença com que as pessoas se tratam, ou seja, durante um ano eu não te falo, não faço ideia de se estiveste bem ou mal, se cantaste e sorriste, se amaste, se choraste dois rios, ou só um, se conseguiste ir ao cinema ver a tal comédia romântica, ou se saíste com os teus amigos, se foste na tua viagem de sonho, se conseguiste chegar a tempo de apanhar o comboio para casa, ou... , ou... , ou ... ... ... Mas agora, dou-te uma prenda e ficamos amigas, verdadeiras BFF. Nem comento...


Agora expliquem-me, isto serve para quê?.. Tem alguma utilidade ou sequer finalidade? Manter o contacto? Balelas, não é por oferecer uma coisa qualquer embrulhadinha num papel engraçado e com uma fitinha mesmo linda que vou estar mais próxima dessa pessoa. Claro que não! 


Não sei, mas assim na minha loucura - louca até para muitas outras, eu assumo - não seria mais sentido e até mais justo para todos os intervenientes nesta parvoíce que se deixassem destes seguimentos cegos dos comportamentos pré-seleccionados socialmente como correctos? De que me serve receber uma prenda, mesmo que cara, que não me diga nada, ou de uma pessoa que nem sequer conheço? Em que espécie de mundo retorcido é que isto faz sequer sentido? Na minha ideia, que reforço, pode ser totalmente fora dos padrões bem comportadinhos, faria sentido que, eu, conhecendo o Mega [vai passar a ser a minha personagem exemplo doravante, porque é o meu urso de peluche de há uns aninhos para cá e como tal tem de ter algum papel de relevo neste novo acessório da minha vida.. :)] e sabendo do que ele gosta, como ele é, e tendo histórias com ele, brincadeiras, cumprimentos, cenas, faz sentido que quando passo numa loja ou num sítio qualquer onde veja algo que me lembra dele o compre e lhe ofereça. Não? Talvez não. Mas para mim faz sentido. Eu pessoalmente não sou muito fã de receber prendas, nunca sei como é suposto reagir a tais coisas (talvez pelas inúmeras prendas sem sentido que recebi até hoje, 95% - 100%) e sinceramente prefiro ser eu a deixar as pessoas desconfortáveis com essas coisas, especialmente quando realmente dá gozo fazer isso, ou seja, quando sei que estou a oferecer uma coisa que essa pessoa quer, que vai gostar, que não vai saber muito bem o que dizer porque quase lhe li o pensamento (será?.. :) ). Mas isso faz sentido. Não há ninguém que me consiga dizer que não. Nem a história de que dando prendas em alturas aleatórias escolhidas por obra do acaso na nossa vida  retira o factor expectativa, ou a excitação de esperar por aquele momento, aquele dia. Não faz sentido. Vamos esperar ansiosamente pelo Natal ou pelo nosso aniversário (acaba por ser a mesma coisa.. se bem que aí é ligeiramente diferente; acho que as pessoas levam uma vida tão rápida, tão dependente de tanta gente que merecem ter pelo menos um diazinho em cada 365 para si, para terem atenção, serem um bocadinho o centro das atenções e terem assim montes de miminhos.. às vezes sabe bem não é verdade.. :) ) simplesmente para receber objectos que nos dizem o mesmo que uma caixa de fósforos vazia [mesmo isso depende mas pronto..]?


Não sendo exemplo, mas prefiro que uma pessoa se lembre de mim de vez em quando e me venha falar e perguntar se está tudo bem do que me dê uma prenda no Natal só porque sim, sem nunca no resto do ano me ter dirigido palavra. E mais, não é por gastarem mais dinheiro numa prenda inútil que ela terá mais valor, não monetário entenda-se. Dou mais valor a uma carta escrita para mim, com real carinho, do que a uma coisa mesmo gira e cara e tal. Não quer dizer que não possa apreciar tal coisa, mas se for muito cara até dá aquela sensação de "wow.. :o" e de qualquer das formas é peanuts, há coisas mais importantes.


Bem a base no meio disto tudo é: façam o favor de não se preocuparem tanto com prendas natalícias de conveniência, em vez disso talvez tentarem realmente dar-se com as pessoas não era nada má ideia. Mesmo que queiram continuar numa onda de interesse pensem: se as pessoas vos conhecerem podem dar-vos coisas que vocês realmente apreciem. Não seria mesmo agradável receber o CD dos Metallica em vez do CD do Justin Bieber? [para quem gosta de Metallica e não aprecia tanto Justin Bieber..] Just a crazy idea...


Em Novembro vai tudo voltar ao mesmo: multidões infindáveis nos centros comerciais, todas aquelas cabecinhas a pensar em pessoas que têm de receber uma prenda da sua parte, e tudo a esgotar e cenas. A sério, levem como um apelo: pensem mais nas pessoas no resto do ano e lixem-se para essas datas pré-concebidas. Tanto stress durante um mês, e não vos leva a contacto nenhum que interesse com quem quer que seja. 



Ou então, assim noutra ideia mesmo louca, balelas para as prendas todas, screw the system, fight "The Man" e bora virar todos hippies.. :)










Queria escrever mais cenas sobre estas coisas.. Mas acho que agora não me apetece.. :) Pode ser que um dia escreva mais qualquer coisa sobre isto.. Se me voltar a lembrar.. :)





Remind.. hippie style and stuff.. :)

[assim arranjam uma pão de forma e tudo.. :o e andam com florzinhas e cenas.. peace and love bros.. :)]




[ *.* ]


















quarta-feira, 25 de julho de 2012

Awesome Harry stuff.. :) [1]



E eis que começa uma nova saga de "cenas" .. :) Harry Potter! Portterhead assumida por isso, mais cedo ou mais tarde teria de ser. São algumas imagens engraçaditas que tinha aqui no pc [há muitaaas mais.. virão no devido tempo.. :)].

Have fun.. :)



A minha calculadora nunca fez nada disto.. Sad.. really sad.. :)


*bow* McGonagall being awesome.. as always.. :)


[my future tattoo :) ]



é fofinho.. *.*





nerd.. mesmo assim.. muito bem.. :)


cenas.. :)


é realmente uma bela questão..



Harry and Hermione in.. "Alien" version


era tão giro.. :)



:O :O :O



Apple pie if you ask me.. :)

respect.. :)


E pronto.. fiquemos por aqui... mais virão... 

Kiss Kiss Bang Bang fellows.. :)

terça-feira, 24 de julho de 2012

read it!.. :)



“Life’s not a spectator sport. If watching is all you’re going to do, then you’re going to watch your life go by without you.” - Laverne from The Hunchback of Notre Dame


*.*








“Now… Bring me that horizon!” – Captain Jack Sparrow from Pirates of the Caribbean





“Não blasfemes cabrão” – um padre from Crime do Padre Amaro








"-Give me a kiss.
-They're still looking at us!
-Yeah. It worth the shot!"  

- a dude from Inception 







"Beneath this mask there's more than flesh... beneath this mask there's an idea, and ideas are bulletproof! " 

- V from V for Vendetta

*.*









segunda-feira, 23 de julho de 2012


De vez em quando o facebook dá-nos umas pérolas, e já que eu tenho amigos mesmo porreiros por lá, mais fácil é descobrir coisas interessantes. Esta frase foi lá posta por uma grande amiga minha [não digo mais que depois ela vê e coise.. :)]. Não faz a mínima ideia de quem é a frase.. mas é linda.. e eu concordo. 

[a foto é minha.. da Ericeira.. não está brilhante mas eu gosto.. *.*]


"Um A no início e o mar fica maior." 
[autor desconhecido]





sábado, 21 de julho de 2012

"Stop all the Clocks"


Bem, este poema foi-me apresentado por uma professora de português, pois vem de um filme que ela apreciava muito [mais que não fosse pelo sotaque do Hugh Grant - que eu acho ligeiramente irritante mas pronto..]. Era a parte do filme em que ela chorava e tal, quando no meio de um filme cómico morre a melhor personagem de todas e o namorado lhe lê este poema.
Não é um dos meus poemas preferidos mas é interessante, que eu acho que está muito bem escrito e de qualquer forma está bastante bonito.
Hope you like it.. :)




From : "Four Weddings and a Funeral"


Stop all the clocks, cut off the telephone,
Prevent the dog from barking with a juicy bone,
Silence the pianos and with muffled drum
Bring out the coffin, let the mourners come.

Let aeroplanes circle moaning overhead
Scribbling on the sky the message He Is Dead,
Put crepe bows round the white necks of the public doves,
Let the traffic policemen wear black cotton gloves.

He was my North, my South, my East and West,
My working week and my Sunday rest,
My noon, my midnight, my talk, my song;
I thought that love would last for ever: I was wrong.

The stars are not wanted now: put out every one;
Pack up the moon and dismantle the sun;
Pour away the ocean and sweep up the wood.
For nothing now can ever come to any good.



W. H. Auden


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Kitty Cookie.. :)



Descobri há uns tempos uma imagem que junta duas das minhas personagens preferidas de desenhos animados. Está simplesmente genial.. *.*

[e ainda por cima com a Lua e as estrelas a espreitar pela janela.. *.*]


Enjoy it.. :) 




quinta-feira, 19 de julho de 2012

Childish [3]




MONSTERS INC !!! [2001]


Embora seja a continuação da saga "Childish" [já tenho uma saga só minha.. :)] este é especial. Primeiro porque é sobre o filme mais fofinho que já vi, ou pelo menos que vi nos últimos tempos [é um filme de 2001 e eu só o vi agora, mas não interessa.. :)], e depois é o número 3, que é aquele número interessante.. :)

E então.. aqui ao lado temos a foto de apresentação: [de cima para baixo] James Sullivan [Kitty.. *.*], Mike Wazowski eeee... Boo.. *.*


Bem eu fiquei absolutamente apaixonada por esta história. Temos uma cidade cheia de monstros cuja electricidade é gerada a partir.. dos gritos das crianças quando têm monstros de baixo da cama, ou no armário [por acaso nunca tive disso.. :)]. Primeiro : ideia do caraças!.. :o Está mesmo bem apanhada, só por aí já merecia uns quantos créditos a mais que muito filme que ainda por aí a ser considerado "bom". :)
E então, continuemos, na fábrica da cidade trabalham vários monstros cujas funções são pura e simplesmente entrar nos quartos das crianças, quando estão a tentar dormir, e assustá-las de forma a conseguirem recolher os seus gritos que são o combustível para a electricidade de Monstropolis.
Um dos medos de todos os monstros que todas as noites entram nos quartos das criancinhas inocentes é o contacto com esses seres estranhos e maquiavélicos, e assim que haja qualquer tipo de contacto físico, directo ou indirecto, com o mundo dessas criaturas tem de existir uma desinfestação intensiva para minimizar os riscos de epidemia.. :)


Acontece que o melhor trabalhador da fábrica, Sulley, encontra uma porta sozinha no local de trabalho, a uma hora inapropriada, e investigando o interior dessa porta descobre um quarto vazia. E ainda bem. E porquê?.. Porque a criança desse quarto era só a criança mais fofinha de todo o mundo humano e monstro. :)

Meet Boo!!! :)











E, agora que já temos a Boo na história posso usurpar o seu direito de tratar o James Sullivan por... Kitty.. *.* [eu acho que ela é fofinha o suficiente para me perceber.. :)] 

Embora a reacção inicial seja : "Esconde!!!! Sai daqui!!! NOOOOOOOOOOO!!" um coração mole como o do Kitty não podia ficar indiferente a tanta fofice junta.. :)

Depois de perceber que aquilo em que os faziam acreditar só podia ser mentira - nunca que uma menina pequenina, tão querida, com um sorriso tão ingénuo e fofinho, podia fazer mal a alguém, ou ser "má", ou infectar Monstropolis - é óbvio que não se consegue desligar dela, não consegue deixar de brincar com ela, de se preocupar com ela, de ser o seu Kitty fofinho.. :')


Uma das cenas mais emocionantes deste filme é quando o Kitty, tentando despachar o patrão lá da zona, mostra no simulador de sustos como era tão eficiente no seu trabalho. Resultado tem de mostrar o seu grito mais aterrador, não apenas ao boneco do simulador como também a Boo. Para além de toda a parte sentimental da cena, a parte cinematográfica em si está muito bem feita, eu achei pelo menos. A transformação do Kitty num monstro assustador, ao mesmo tempo que o ar fofinho, ingénuo e feliz da Boo se transforma em incredulidade e pavor. Brilhante, se bem que até certo ponto perturbador.


Este filme não está perfeito em todas as cenas [a nível gráfico e tal], mas mesmo assim para o filme que é, e tendo em conta que é de 2001, está simplesmente brutal, com uma qualidade mesmo interessante, e assim montes de azul e fofinhices pelo meio. :) 





É engraçado ver a evolução que a presença da Boo tem ao longo do filme. Até porque o carinho que se cria entre ela e o Kitty é uma coisa mesmo.. *.*
A isso junta-se as reacções de Mike Wazowsky à pequenina que ainda são melhores. É um totó, fofinho, mas totó. :)

Eu não queria fazer uma coisa muito grande, e a julgar pelo tamanho do que já escrevi não consegui cumprir. Mas corto agora.[acabei por ter de o rever e escrever mais.. depois de já ter sido publicado, mas só porque havia demasiadas coisas em falta.. :)]




Best animation movie ever!!! 


O mais fofinho de sempre.. *.*




Animem-se pessoas!.. :)  
Coming soon.. : Monsters Inc 2 !!!

Vai sair brevemente o segundo filme, que mostra Mike Wazowsky e James Sullivan [Kitty.. :)] na faculdade! A ver. Definitivamente!! 
[Grande contra.. huge... não tem Boo.. :( mas pronto.. não se pode ter tudo na via.. :)]
[ahh.. e é pssível que mais tarde faça mais qualquer coisa sobre este filme.. :$ ] 


E agora.. see!!! :) [mistura Monsters Inc com... Harry Potter.. *.*]


http://www.youtube.com/watch?v=vZIY2-kH-wE



[o abraço mais fofinho de sempre.. com festinhas e tudo.. *.*]


"Come here you"..
"Kitty..."
"Kitty has to go... "
...
 :')

Childish [2]



Phineas e Ferb [2007]
Uma coisa bem recente, num registo um bocadinho diferente dos restantes mas com bastante sucesso de qualquer forma. 

História : dois irmãos, as coisas mais loucas à face da Terra, que aproveitam as férias da maneira que eu gostaria de aproveitar, ou seja, loucuras a dar com um pau!.. :) E depois a irmã, Candace, sempre a passar-se com as loucuras dos irmãos, mas sempre que tenta mostrar aos pais o que se passa já tudo desapareceu misteriosamente.. :)
As crianças, algumas, as mais interessantes - eu incluída - têm uma imaginação absolutamente incrível, fazem os cenários mais estapafúrdios, e como é óbvio os mais brutais de sempre.
Vamos ter um circo no quintal, ou fazer espectáculos com baleias no quintal, organizar um festival de rock, fazer um robot, o que lhes der na cabeça para fazer nesse dia enquanto os pais estão a trabalhar. [sei de alguém que fazia o mesmo.. ] :) O que é mesmo interessante é que eles conseguem fazer tudo aquilo que imaginam, é isso que tem tanta piada.

"Perry Orrnitorrinca" - como diz o mauzão da história Dr. Heinz Doofenshmirtz [acho que é assim.. :)] um agente secreto, e ao mesmo tempo o animal de estimação da casa. Desaparece sempre misteriosamente no início do episódio e aparece no fim, se bem que embora os seus "donos" não saibam da vida ultra perigosa que ele leva, nós vamos acompanhando as suas peripécias ao mesmo tempo que vemos o concretizar das ideias desse dia.. :)

Para além das histórias serem mesmo brutais ainda temos músicas absolutamente fenomenais. A melhor - para mim pelo menos - é "Não tenho ritmo".. E mesmo gira.. :)                           http://www.youtube.com/watch?v=Lsi-Ds2mP3k



O Corcunda de Notre Dame - "The Hunchback of Notre Dame" [1831 / 1996]

Bem, neste caso juntamos duas coisas muito diferentes [daí as duas datas]. O Corcunda de Notre Dame é uma obra de Victor Hugo bem antiguita [nunca li toda, mas a base histórica é bastante interessante; já a história na sua essência é a mesma com umas quantas adaptações necessárias para a transformar num filme infantil], quando no entanto o desenho animado em si, a que me refiro, vem do filme de 1996 produzido pela Disney [há ainda um outro filme, mais fiel à história original, de 1923, que também ainda não vi mas segundo parece é assim a dar para o forte].


E depois de tanta palavra chata o que é importante aqui, é que este é o meu filme da Disney. "Ah e tal Pequena Serei, a Bela Adormecida, o Bambi, o Rei Leão..." , alguns nunca vi [shame on me..] e os outros não são nem metade do interessante deste. :) 


Eu via isto em VHS, praticamente todos os dias, e sabia as falas todas, rigorosamente todas.. :) Era mesmo giro.. 


É uma história que, como em todas estas histórias de "encantar", os detalhe macabros são ignorados pelas crianças, ou melhor, pela sua ingenuidade. E ainda bem! Se voltarmos a ver esta história, e prestarmos atenção aos pormenores desde o início, temos uma história digna de um filme de terror.


Mas... não é pelos pormenores sórdidos que escolhi o Quasimodo. [se bem que não é uma má ideia.. :)] 
O Corcunda é um moço mesmo fofinho, apaixonado pela vida, a querer sair do "seu santuário" para ter uma vida minimamente parecida com as pessoas que ele vê dos "telhados da cidade".
Ele quer sair, quer ver o mundo, quer poder ser livre - tal como todos nós queremos. E é tão bom moço, tem um bom coração, quer ajudar a Esmeralda [vamos dizer que é pelo bom coração.. :)].


E.. para mesmo fixe no meio disto tudo, até fala com gárgulas, especialmente com uma gárgula, Laverne, que é mesmo fofinha [já agora estas gárgulas estão extremamente bem representadas.. As originais que se encontram em Notre Dame são absolutamente lindíssimas e as personagens estão bastante fiéis por acaso].


E pronto, depois podia falar da História toda da Esmeralda, e da paixão louca, o ódio profundo, o desejo incontrolável de Claude Frollo por ela, misturando o amor de Quasimodo e o amor dela por Phebo, mas muito sinceramente isso já entra nas historinhas típicas da Disney, amores e desamores e as míticas morais inerentes a todos estes filmes infantis.


Resumindo e concluindo, que ainda não disse nada de jeito e também não deve melhorar muito, o filme é extremamente fofinho com todos os detalhes absolutamente macabros que o fazem ser assim. Acho que ainda hoje sei o filme todo de cor, e continua a ser o meu filme preferido da Disney. Embora haja muitos outros que goste de ver, dos clássicos e dos mais recentes, este terá sempre um cantinho especial reservado.. :)





Monstro das Bolachas - Cookie Monster [1966]


O. Melhor. Bicho. Peludo. De. Sempre. :) [depois temos o Kitty.. mas aguardemos.. :)]
É fofinho! É azul! Ama bolachas!..




Quem não gostar do Monstro das Bolachas escusa de se dirigir à minha pessoa. Primeiro porque para não gostar do Monstro das Bolachas tem de ser alguém que não goste de bolachas, que não goste de azul, e que não goste de coisas fofinhas. C'mon?? Não é possível não gostar. Impossibru! :)


Et bien, basicamente é uma personagem que pertence à Rua Sésamo, serie da qual nunca fui assim muito fã. Ou melhor sempre gostei de algumas personagens, mas a personagem principal sempre me irritou : o Popas!.. [para avestruzes gigantes e amarelas temos a Leopoldina todos os Natais.. e chega.. :)]



Vejam esse vídeo.. é uma entrevista com o Monstro. Está bem engraçada por acaso. 
E para finalizar.. desejo-vos a todos : 

OM NOM NOM NOM NOM!!!!! :)





Garfield [1978]


Jim Davis de há uns quantos séculos para cá é um nome a saber na ponta da língua. E porquê? Porque... criou um gato.. gordo.. laranja.. lazy as hell.. amante de lasanha.. portanto.. awesome.. *.* [é pena que esta genialidade toda tenha vindo de um insecto que não estava a fazer sucesso.. sad sad... ]


Garfield é uma personagem que - perdoem-me os não fãs - tem de ser amada por toda e qualquer pessoa que tenha o mínimo de actividade cerebral.




Não me posso esquecer do Oddie. Embora um cão extremamente estúpido, tadinho, é mesmo fofinho.
Já o mítico dono, Jon, é outro pouco dado à inteligência, mas o que vale é que se não fosse assim o Garfield não seria tão interessante.. :)


O sarcasmo deste bicho, a arrogância, a inteligência, toda uma gordura acumulada, a preguiça a tender para infinito em cada ponto do seu ser [a não ser que haja lasanha :) ] fazem dele o gato mais fixe de todos os tempos.. :) Até porque este gato, vá como hei-de pôr isto, manda no dono.. ou melhor é quase dono do dono. A manipulação que ele consegue fazer a Jon, geralmente por televisão ou, como é óbvio, lasanha :), é digna de aspirantes hitlerianos.. :)





Algo importante: por favor não me venham dizer que o Garfield é uma personagem de um filme muito giro que viram há uns tempos. Tadinho do moço, anda há tanto tempo a dar uma coça aos humanos em geral, vão mas é ler umas bandas desenhadas dele que isso sim é de valor.. :)










Peanuts [1950]


Charlie Brown, Snoopy, Woodstock, Lucy, Linus, Peppermint Patty, Sally e pelo que me dizem as minhas fontes, Franklin - não me lembro de tal moço.. mi dispiace. :$ 


Sempre gostei de ler e ver Peanuts, não sei muito bem porquê, mas as histórias estranhas deste grupo de "crianças" tornavam-nas mesmo engraçadas. 



Nunca gostei muito do papel de destaque do Charlie Brown, é fofinho e tal mas é um líder meio fraquinho. Woodstock é super fofinho, e como é óbvio o Snoopy é um marco.

O meu favorito nem sequer é dos mais falados. O Linus acaba por ser aquele que é o mais calminho, engraçado na mesmo, mas mais frágil. :) Acho que a culpa é daquele arzinho de bebé sempre agarrado ao seu cobertor. É mesmo fofinho.. E pronto, acabo por ter um carinho especial por ele.. :)

E pronto, basicamente obrigada Charles Schulz, foste um porreiraço.. :)






Pucca [2006]


Só para não dizerem que não sou internacional - tomem lá cenas koreanas.. :)
A Pucca conquistou o mundo aqui há uns tempos, e entretanto já foi esquecida. Em parte a minha reacção é : YESSSS!!! , mas por outro lado : ahh.. é pena.

Passemos a falar da moça a ver se nos entendemos. Então.. a rapariga é a coisa mais irritante que existe. Sempre atrás do pobre do Garu, que esse sim é a personagem mais engraçada no meio dos episódios todos. 

O Garu é um ninja, que fez um voto de silêncio, e basicamente é a paixão assolapada da Pucca. Agora, mais importante do que isso, o Garu é simplesmente o moço com a maior quantidade de paciência possível. Aquela moça é louca, não pára de o perseguir, sempre atrás dele para o encher de beijos. :) 

Nunca se chega a perceber muito bem qual a opinião dele no meio disto tudo, ele fica tão atrapalhado que nem se consegue entender grande coisa. :)


O que realmente vale a pena ver nestes desenhos animados é... a forma de cortar legumes dos tios da Pucca no restaurante que possuem, de massas. Coisa meia ninja, meia louca, meia taekwondo. Mesmo fixe.. :)

E pronto, eu pessoalmente não me consigo decidir. Por um lado é tão, mas tão irritante, sempre a fazer de tudo para agarrar o pobre rapaz, mas por outro lado é bem fofinha. E pronto, está a seguir o seu "amigo colorido" digamos.. Não a podemos crucificar assim tanto. :)







[sim desta vez escrevi menos, alguns porque fazia mais sentido e outros para não secar tanto as pessoas.. :)]

*.*






quinta-feira, 12 de julho de 2012

Pi Love.. :)


Tenho uma teoria a partilhar com o mundo.. :) [isto vem de influências nerd misturadas com loucura inerente à minha própria pessoa]

Então cá vai..

O amor é suposto ser irracional certo???
Então o amor vale pi.. xDDD


[até vou partilhar em inglês.. de tanto que quero isto divulgado.. :) já alguém se deve ter lembrado disto.. mas não interessa.. :)]




Hi there people who doesn't speak portuguese .. :)


Well I have a theory and I want to share it with the entire world.. :) [just some crazy nerd people ] 


There it is.. :)


Love is supposed to be irrational right??


So.. Love is equal to pi.. xD 


Thanks.. I know I'm crazy.. and genial.. No.. there's no need of creating an award just for me.. Oh ok.. do it.. xD



Childish.. :) [1]




Bem como ainda não estou habituada a isto de blogs e afins vou escrever uma coisa mais calminha, sobre coisas fofinhas, mas que no meio de muita palhaçada por vezes são as que nos dão as lições mais valiosas.
Vou falar deeee.....  desenhos animados.. *.*



"À Procura de Nemo" -  "Finding Nemo" [2003]

Eis um filme aparentemente banal, mais uma das histórias da Disney onde se tenta passar uma mensagem bonita e uma moral que seja de fácil interiorização para as crianças. Embora tudo isso seja verdade, e a história possa ser simplesmente infantil, consegue dar várias noções bastante sérias sobre a vida que nos rodeia.


É bastante desconcertante conseguir ver estes filmes infantis e dar-lhes significado na nossa própria vida. Significados demasiado adultos. Acho que é aí que sabemos que já não somos bem crianças. Conseguir ver para além desta história querida e envolvermo-nos nela a um nível diferente, de ver mais do que um simples pedido de "não abandono" se assim lhe quiserem chamar nessa cena representada na imagem a preto o branco... Deixa, a mim pelo menos, a pensar um bocadinho. 





Esta segunda imagem com a Dori não podia falhar, não tanto pela mensagem aí inscrita [bastante fofinha por sinal.. :)] mas por homenagem, mais que justa, à melhor personagem deste filme [embora as tartarugas também devessem ser lembradas, não são tão relevantes.. "Agarra-te à casa manoooo" :) ].


Sofre de "memória curta", tem uma bela amizade com tubarões em terapia de peixe - inclusivé participa nas reuniões: "Os peixes são nossos amigos.. Não comida.." :) - e fala baleiês.. Como seria possível uma personagem mais perfeita que esta? :)






"The Simpsons" [1989]


Não faz parte das cenas fofinhas que falei no início mas são desenhos animados absolutamente fantásticos e não podiam ser deixados de lado [como alguns outros que serão abordados mais tarde, nas sucessões deste post :)] .


Matt Groening é um nome que já faz parte da história mundial. Principalmente por ser o criador desta série que actualmente só vai na vigésima terceira temporada, com mais de quinhentos episódios, mas também por outra série a meu ver bastante interessante - Futurama.


Já quase todos os grandes actores, as grandes bandas, as grandes personalidades deste mundo têm a sua versão Simpsons, tendo aparecido na série por algum episódio em que fazia sentido a sua presença, ou não.





A imagem de baixo serve para chocar os mais distraídos e menos conhecedores desta bela série [confesso que eu própria só conheci esta imagem há bem pouco tempo..] na medida em que... Estes são os Simpsons iniciais. Sim... Estas figuras estranhas são os Simpsons que julgavam que conheciam. :) Ou pelo menos foram, outrora. As figuras foram sofrendo adaptações até chegarem ao aspecto pelo qual as reconhecemos hoje em dia. Temos uma creepy Maggie, uma Lisa com uma boca demasiado semelhante à do Felipe [amigo da Mafalda.. :) ], a Marge antes de utilizar aquele champô maravilhoso que agora lhe deixa o cabelo naquele cilindro perfeito, Homer com a cara ligeiramente mais magra [low carb diet.. dizem que resulta.. :)], e por fim, Bart, sendo a maior característica, bem, o ser, maior. :)








 Princesas da Disney - Disney Princesses [1937]

[Por ter começado a meter corzinhas fofinhas de forma temática.. este tinha de ser cor-de-rosa.. não é que seja muito do meu agrado.. mas faz sentido vá .. (e mesmo assim meti um rosa mais lilás..) ] :)

A primeira das princesas foi Branca de Neve [eheh.. :) ] em 1937, e a partir daí outras foram aparecendo.


Cinderella, a eterna perdedora de sapatos, que faz as meninas sonharem com sapatinhos de cristal trazidos por príncipes de cavalo branco;


Aurora [que eu não sabia quem era confesso.. maaaaas se houver quem esteja na mesma situação, é a Bela Adormecida - o que faz sentido, a moça não devia chamar-se Adormecida por apelido do pai.. :) ]; 

Ariel - a pequena sereia (Little Mermaid) - que embora tenha uma história querida e engraçada, é também bárbara e absolutamente estranha e maquiavélica - entenda-se que eu gosto bastante da Ariel.. só que pronto.. :); 

Bela [Belle], a típica história para aprender que "a beleza interior é o que importa", mas é realmente fofinha ; 

Jasmine, acaba por ser das princesas menos conhecidas, tem uma história um pouco diferente mas é mesmo engraçadinha a moça.. :) ;

Pocahontas, a princesa mais "selvagem", índia, mas de longe a mais fofinha e interessante [+.+] ;

Mulan é a mítica princesa guerreira, literalmente, deve ser a que tem mais "garra", ensina as meninas e serem menos meninas e a irem à luta :);

Tiana e Rapunzel são as mais recentes sócias deste clube. Respectivamente são a princesa cujo fofinho é um sapo, e a senhora cujo cabelo na realidade lhe traria problemas de saúde extremamente aborrecidos, e dolorosos. 

Uma das coisas que todas estas princesas têm em comum, e isso vem muito da dinâmica Disney, é a moral de cada história: desde ensinar que não se deve tratar mal as outras pessoas, porque os "maus" nunca são felizes nos finais destas histórias [aqui devo dizer que se nota perfeitamente que a máxima de vida de Walt Disney era, e passo a citar: "Karma's a bitch, baby" :)], até a máximas de amar a Natureza, e lutar pelos sonhos, ser uma boa criança e ser feliz.. :)

Um aspecto que acho que deve ser salientado no meio de toda esta fantasia é o de que para além de todas estas histórias fazerem girar o coraçãozinho de muitas meninas pequeninas [e alguns meninos também] também transmitem uma mensagem de igualdade que está, a meu ver, bem feita. Podemos encontrar vários tipos de princesas, porque as pessoas são diferentes, e as princesas também. :) Mas a mim agrada-me o facto de conseguir encontrar princesas de várias cores, de diferentes culturas, com personalidades diferentes provenientes de vidas diferentes. Claro que temos sempre as típicas princesas, queridas, fofinhas, delicadas, prendadas, a imagem da "mulher ideal" que ainda hoje é comummente aceite em sociedade. A maior parte destas princesas pertencem a este grupo, o que consigo compreender, é a ideia que tentam incutir nas pobres mentes inocentes que dali aparentemente só retém o brilho dos vestidos e das tiaras. A Bela, a Aurora, mesmo a Ariel, mostram o glamour das princesas através dos seus vestidos, jóias, sapatos, tudo muito "shiny blink blink". Mas depois temos outro tipo de princesas: temos princesas guerreiras, lutadoras, que ganham pela sua simplicidade e nobreza de alma. Eu confesso sempre preferi este segundo grupo, menos fútil e pinkie que o anterior. Temos Mulan, literalmente a princesa guerreira no meio de todas as outras, não se pode dar ao luxo de ficar a dormir numa torre à espera de um príncipe, ou de andar à espera de um sapatinho de cristal a chegar de charrete. E essencialmente quero falar da minha princesa preferida de entre todas elas: Pocahontas.. :) Vejamos, é uma índia, vive em comunhão com a Natureza e por isso, na minha perspectiva, consegue ser aquela que realmente olha à sua volta e vê a beleza daquilo que a rodeia; consegue ser extremamente lutadora, destemida [também assim a obrigam... se não perceberem vejam o filme.. :)] mas ao mesmo tempo ser fofinha, e a princesa mais hardcore no meio delas todas. 
[qualquer tipo de referência à minha pessoa que envolva "selvagem" ou afins em nada tem a ver com justificação para o meu apreço pela Pocahontas.. :)]     











Calvin & Hobbes [1985]

Infelizmente muitas pessoas não conhecem esta maravilhosa banda desenhada criada por Bill Watterson. 

Trata-se de tiras cómicas que envolvem o Calvin, um rapazinho de seis anos, e o seu melhor amigo, o seu tigre de peluche, Hobbes.

Embora a ideia seja toda um bocado esquizofrénica posso garantir que é das melhores bandas desenhadas que já li. 

Para além de ser extremamente engraçado, tem um gostinho a crítica e a rebeldia [digamos que infantil para não ferir susceptibilidades :)] que aprecio bastante. A maneira como o Calvin, sendo um puto de seis anos, consegue ver o seu mundo é absolutamente fascinante. Tem uma mente brilhante e fértil, cheia de ideias a pôr em prática com Hobbes. Não são poucos os episódios de sonhos que ambos concretizam, de ideias absolutamente geniais e / ou loucas onde os dois conseguem sempre ter aventuras de meter inveja, pelo menos a algumas pessoas, como eu. :)

Para além de tudo isso, a cumplicidade entre os dois é total [sim eu sei que - supostamente - o Hobbes é simplesmente uma criação do Calvin, mas também só quem nunca leu com real atenção os livros é que pode afirmar uma coisa dessas :) ]. São aqueles amigos que todos queremos ter, principalmente na infância: alguém com quem partilhar aventuras, ideias, experiências, alguém com quem façamos as maiores tropelias, as maiores loucuras, e segundo o nosso desejo essa ligação manter-se-ia por muitos e longos anos. Não seria apenas para nos metermos numa caixa de papelão e ir a Andrómeda, mas também para começarmos a nossa vida mais tarde com um braço sempre pronto a nos amparar. No fundo é o que todos desejamos. Me included.. :)

Sayonara my good friends.. :)